quinta-feira, 5 de julho de 2012

Cine Vitória (Vitorinha)


Cine Vitória, também conhecido como Vitorinha, funcionou na avenida  Capixaba,  atual  avenida  Jerônimo  Monteiro,  370,  Centro,  Vitória. Foi inaugurado em 1950 com 380 lugares, com o filme Bagda.

Cine Vitória, Centro, Vitória, com o público aguardando a sessão do filme. Década 1950. Acervo Família Rocha. Fotografo Alfredo Mazzei.

Histórico: No dia 4 de outubro de 1950 a Avenida Jerônimo Monteiro ganhava uma sala que marcou muito o público capixaba, o Cine Vitória ou “Vitorinha” como era conhecido por causa de seu tamanho com 380 lugares. O cinema marcou a época por ser o primeiro da cidade a oferecer sessões contínuas a partir das 15 horas, e aos domingos e feriados a partir das 13 horas. O proprietário Edgar Rocha estava entrando no ramo de exibição de filmes e inaugurou a sala com o filme Bagdá.
José Tatagiba, freqüentador do Vitorinha, conta sobre práticas comuns na porta da sala que, por ter o faroeste na programação, atraía as crianças que viam no caubói o herói das telas de cinema. Nesta época era comum, aos domingos, as crianças se concentrarem na porta da sala para trocarem revistinhas. Conta Tatagiba:
“Eu quando era pequeno, eu e os meus irmãos, a gente ia para a porta do Vitorinha ficar trocando revista, revista de faroeste. A gente ficava trocando revista antes do filme e depois assistia a sessão. Quando o filme acabava ia para casa ficar lendo aquelas revistas isso era mania geral de toda a criançada da época. A gente limpava os quintais das casas só pra conseguir dinheiro para ir ao Vitorinha”.
O terreno onde funcionou o Vitorinha pertencia à Dionysio Abaurre (comerciante que entrou mais tarde para o ramo do cinema) construindo onde anteriormente funcionava o fundo de sua oficina de pintura de carros. O proprietário da sala Edgar Rocha percebeu que aquele lugar daria um cinema com grande potencial e resolveu fazer um acordo com Dionysio. Ficou decidido então que o terreno seria dividido em duas partes: na metade que estava de frente para a Avenida Jerônimo Monteiro funcionaria o Vitorinha e na outra metade, que dava para a Avenida Princesa Isabel, continuaria a funcionar a oficina.
Durante a inauguração do Santa Cecília, foi vinculado um concurso local pela rádio e pelos jornais impresso para divulgar a nova sala. Quem acertasse o nome do cinema, que já havia sido escolhido, ganharia entrada grátis durante um ano. Oito pessoas acertaram o nome da sala que era uma homenagem a mãe do proprietário. Com lustres na entrada, chão de mármore, equipamentos modernos de projeção e som, frequentar este cinema era uma questão de status.

 Público aguardando a sessão de inauguração no interior do Cine  Vitória, na sala com 380 lugares, também conhecido como Vitorinha pelo tamanho da sala, funcionava na av. Princesa Isabel, 335. Vitória. 04 out. 1950. Acervo Família Rocha.

 Público aguardando a sessão de inauguração no interior do Cine  Vitória, na sala com 380 lugares, também conhecido como Vitorinha pelo tamanho da sala, funcionava na av. Princesa Isabel, 335. Vitória. 04 out. 1950. Acervo Família Rocha.

Público aguardando a sessão de inauguração no interior do Cine  Vitória, na sala com 380 lugares, também conhecido como Vitorinha pelo tamanho da sala, funcionava na av. Princesa Isabel, 335. Vitória. 04 out. 1950. Acervo Família Rocha.

Lojas que ocuparam o espaço onde funcionava o Cine Vitorinha e Odeon, na avenida Jerônimo Monteiro. Vitória. 04 out. 1950. Acervo José Tatagiba.

Fonte: Facebook/Fotos Antigas do ES.

2 comentários:

  1. Prezado André,
    1) Acho SENSACIONAL o seu blog.
    2) A foto acima, provavelmente não é a de inauguração do Vitorinha, porque no letreiro consta o filme SARABANDA, lançado em 1948, estrelado por Stewart Granger e Joan Greenwood.
    (Fonte: Site Cinema é Vida - http://cinemaevida.blogspot.com.br/2012/08/1948-sarabanda.html.
    Por outro lado, pode não ter sido BAGDÁ o filme que inaugurou o cinema.
    O filme americano BAGDÁ, de 1949, teve em seu elenco: Maureen O'Hara, Paul Hubschmid, Vincent Price, John Sutton, Jeff Corey, Frank Puglia, David Wolfe, Fritz Leiber, Otto Waldis, Leon Belasco, Anne P. Kramer
    (Fonte: http://melhoresfilmes.com.br/filmes/bagda)
    3) Acima há o seguinte texto: "O terreno onde funcionou o Vitorinha pertencia a Dionysio Abaurre (comerciante que entrou mais tarde para o ramo do cinema) construindo onde anteriormente funcionava o fundo de sua oficina de pintura de carros". Desculpe-me interferir em seu trabalho, mas é com o intuito de ajudar. Assim, acho que você poderia dizer: ...construindo o cine Jandaia em 1955, no local onde anteriormente funcionava sua oficina de pintura de carros, exatamente nos fundos do Vitorinha.
    Um abraço,
    Zuza Castello

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigido. Essa é a idéia do Blog, a contribuição dos leitores para irmos acertando os anacronismo que acontecem no árduo trabalho de identificação de fotografias. Grato pelas importantes contribuições.

      Excluir

Você tem mais alguma informação sobre este cinema?